quarta-feira, 9 de maio de 2018

Opalas sendo Opalas, porque quem gosta de motorzinho é dentista!!

quinta-feira, 8 de março de 2018

Novas placas automotivas no Brasil


O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) publicou no Diário Oficial da União desta quinta-feira o novo formato do emplacamento de veículos. A medida estipula que a frota nacional deverá ter  o mesmo modelo adotado pelo Mercosul. O padrão será adotado obrigatoriamente em todos os carros a partir de 2023, mas já valerá para novos registros e transferências de domicílio após setembro de 2018.
Entre as diferenças estão um novo layout – em que o fundo passa dos atuais coloridos para o branco  e a numeração. As diferentes cores usadas atualmente como vermelho para veículos comerciais estarão presentes nas bordas do novo modelo.
A sequência de identificação permanece com sete dígitos. Porém, enquanto hoje em dia ela é composta de três letras e quatro números (por exemplo, XXX 1234), essa divisão não existirá mais , onde pode haver a mescla de letras com números (por exemplo  XXX12A4).
Outra diferença é que as chapas terão chip eletrônico e código de barras bidimensional (QR Code). O dispositivo eletrônico conterá informações do veículo, que poderá ser acessada por órgãos como as polícias Federal, Rodoviária Federal e Estaduais e a Receita Federal, segundo o Ministério das Cidades, ao qual o Denatran é vinculado, pois deve facilitar a identificação de carros roubados . Outra possibilidade é que esse sistema sirva para permitir o acionamento automático de portões e cancelas.
O credenciamento das empresas autorizadas para a fabricação do novo modelo de placa será feito pelo Denatran . Atualmente, esse controle é feito pelos departamentos Estaduais (Detran). Com isso, o valor será padronizado nacionalmente. Segundo o órgão público, a expectativa é de que o custo de fabricação seja menor que o atual (eu acredito em Duendes,rs)
O modelo comum de placas de automóveis para  Mercosul foi apresentado em 2014, e teve sua implantação no Brasil adiada por duas vezes. O objetivo é melhorar a fiscalização e controle de trânsito de veículos entre os países. Uruguai e Argentina já adotam o novo modelo. Outro bloco comercial, a União Europeia, também adota uma padronização entre os países integrantes.
Pelo menos não estão obrigando os brasileiros a mudarem tudo em apenas 6 meses como normalmente acontece com as mudanças para “o bem dos brasileiros”.
Fonte : Exame